Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Capitulo 7 {In My Dreams}

por sacha hart, em 03.05.14

 

Quase às duas da manhã, Emry estava exausta e cheia de vontade de ir para casa. Só tinha de tratar do fecho do bar. Felizmente já não faltava muito e por isso tirou o uniforme, voltando a vestir as suas roupas. Quando regressou ao seu escritório não esperava encontrar um cliente – especialmente um cliente tão aprumado e elegante, como via pelo fato.

Só ao ouvir o timbre da sua voz é que percebeu quem realmente tinha entrado no seu escritório. Shannon estava diferente, mais magro e moreno, mas ainda assim lindo de morrer. Isso não mudara. A forma de ele dizer o seu nome também não mudara e sentiu um arrepio na espinha.

Não sabia o que lhe dizer. Talvez fosse melhor nem dizer nada.

- Shannon, não podes estar aqui.

- Está bem, eu já saio mas antes… - Aproximou-se dela. Muito próximo. – Estás diferente, estás mais bonita.

Ela não queria ouvir a conversa dele. Há dois anos atrás custara-lhe superar o golpe que ele infligira. Não era estúpida nem ingénua ao ponto de achar que ele estivesse apaixonado por ela, mas sentira algo especial em Nova Iorque entre ambos e pensara que ele partilhava o mesmo sentimento. Entrar no seu quarto de hotel e ver a namorada dele semi-nua acabara com quaisquer esperanças.

- O que é que estás aqui a fazer?

- Vim beber um copo. Não sabia que aqui trabalhavas. Fico contente por te ver.

- Hum… - As palavras faltavam-lhe.

- Não podes beber em serviço, pois não? – Ela abanou a cabeça – Será que aceitas sair comigo, amanhã? – Perguntou esperançoso.

Ela devia dizer-lhe logo que não. E contudo não o conseguia fazer. Sentiu um formigueiro na pele quando ele se aproximou ainda mais. Olhou-o nos olhos, aquelas iris castanhas e belas, e viu simpatia e um brilho especial.

- Amanhã não posso.

- Talvez depois?

- Está bem – Concordou – Mas é apenas beber um café ou algo assim. Não penses que farei a mesma estupidez da outra vez – Rematou num tom amargo.

Uma sombra passou rápido pelos olhos de Shannon. Fora muito brusca ao dizer aquilo? Paciência, ela é que se devia sentir mal, não ele.

- Ok. Posso ficar com o teu número e ligo-te?

Emry repensou melhor. Ia mesmo sair com ele outra vez? Talvez não valesse a pena. no entanto queria sair, apercebeu-se que gostava da companhia dele. - Estás solteiro? Quero dizer, não vou ter de preocupar-me com os ciúmes de alguma namorada?

- Nada disso, prometo.

Reticente ela deu-lhe o seu número. Agora estava somente nas mãos dele combinar aquele encontro...saída... Uh, qualquer coisa não romântica.

- Então até depois.

- Adeus.

Shannon demorou-se a sair. Nem queria acredita que voltara a ver Emry. Iam sair... Isso soava-lhe a uma segunda oportunidade. Só por essa razão já estava todo sorridente quando voltou para o balcão.

Kelsey encarava-o com uma expressão nada divertida.

- Demoraste séculos lá dentro! Agora o bar vai fechar e temos de sair.

Saíram os dois, ainda com as canecas de cerveja na mão. Voltaram para o Bentley.

- O que é esse sorrisinho na tua cara? Parece que o Cupido te acertou com uma seta.

Ele riu-se - Foi quase.

E assim, sem explicar mais nada à amiga, entrou no carro.

 

Nessa mesma noite Shannon viu-se incapaz de adormecer. A perspectiva  de emendar  as coisas com a mulher nova-iorquina deixavam-no activo.

Pegou no telemóvel e viu as horas. Eram três da manhã. Era uma loucura ligar-lhe agora.

 

No outro lado da cidade Emry remexia-se inquieta na cama. Estava cansada e com sono mas sem conseguir adormecer. Cada vez que fechava os olhos, aparecia a imagem de Shannon naquele fato preto e o seu corpo aquecia... mais do que devia, até.

Fitou o ecrã do seu telemóvel. Seria parva se achasse que lhe ia ligar justamente agora. Era de madrugada. – Trimmmm.

O seu coração bateu mais rápido. Atendeu-o.

- Estou?

- Hey Em.... Acordei-te?

- Não...

Ela podia ouvir a respiração dele, era forte e marcada. A lembrança de sentir a sua respiração na sua pele desnuda assolou-a.

- Sei que não é a melhor altura mas estive a pensar no nosso encontro. Há tanto que tenho para te dizer.

- Shannon...

- Ouve, sei que a maneira de como começamos as coisas acabou cedo de mais e há coisas que faltam explicar. Ela era minha namorada sim... mas já não havia nada entre nós , simplesmente não tínhamos esclarecido.

Ela interrompeu-o - Esta não é conversa para ter ao telemóvel.

De repente pensaram os dois na mesma coisa - Queres passar cá? - Disseram em simultâneo.

- Eu vou aí ter. Envia-me a morada por sms.

Mal desligaram a chamada, Emry apressou-se a enviar-lhe o seu endereço. Quando pousou o telemóvel na cama, apercebeu-se realmente daquilo que acabara de fazer. Era de madrugada e Shannon vinha ter com ela. Que raios lhe passara pela cabeça?

Levantou-se e arrumou minimamente o seu espaço. Era um apartamento T1, chegava-lhe. O seu quarto tinha pouco mobília mas era aconchegante. Foi até ao armário e tirou umas peças de lingerie, seguidamente de um robe fino e quase transparente que tinha. Teria, ou melhor, ia, manter-se vestida durante aquele encontro fora-de-horas.

Vinte minutos depois Shannon tocou à campainha. Abriu-lhe a porta e convidou-o a entrar.

- Queres beber alguma coisa? Sumo água, café?

Ele não era homem de recusar café – Um café está bom. Obrigado.

Acenou-lhe para que se sentasse no sofá. Este era pequeno mas confortável e quando regressou da cozinha, teve de se sentar à frente dele – o que era uma distância muito, muito pequena.

- O café está bom.

- Ham… ainda bem que gostas.

Seguiu-se um breve momento de silêncio. O momento tinha tudo para ser constrangedor mas nem o era assim tanto. Ela aproveitou para olhar para ele discretamente. Mirou as suas feições masculinas perfeitamente esculpidas. A ele não lhe escapou o facto de o robe ser muito fino e ver a divina lingerie preta que ela tinha.

- Então… estávamos na parte em que te devia uma explicação.

- Sim, era mais ou menos isso…

Shannon aclarou a garganta. O assunto incomodava-o, sobretudo porque ficara mal explicado. Era tempo de corrigir isso.

- Bom, falando nos termos corretos, sim, eu era namorado daquela mulher na altura. Não funcionávamos como namorados, na verdade. Ela tinha a carreira dela, eu a minha. passámos algumas semanas juntos e o resto era uma temporada de vez em quando. Não havia sentimento, era uma relação de sexo a que ela gostava de chamar namoro. Para mim não era nada de especial.

Emry interveio, mordendo o lábio - Mesmo assim tinham uma relação, um namoro. Para mim as palavras significam muito, para ti não?

- Claro que significam, Emry… Mas os actos significam ainda mais. Quando te conheci só soube que te queria e que nada mais importava. Ia acabar definitivamente por palavras com a Anne depois, só que ela apareceu e bem…

- Mesmo assim, Shannon! – Ela suspirou e bebericou o café. Sabia que ele estava a ser franco com ela. – Não gostei nada de ir para a cama contigo e ficar a saber que tinhas uma relação com alguém. Odiei. Vê-la ali, quase nua na cama onde tínhamos estado… hurr. Odiei.

- Eu sei… - Murmurou ele, abatido. – Odeias-me? – Perguntou-lhe.

- Claro que não – Respondeu prontamente. Não era possível odiá-lo. – Porque estás aqui, Shannon? Agora já tenho a explicação. Não muda o passado mas sempre me sinto mais tranquila sabendo que não estraguei nenhuma relação que já não estivesse condenada.

- Podia perguntar-te o mesmo. Porquê que me deixaste vir aqui, Em? – Ele apanhara-a - Não vale a pena perguntar-te porque sei a resposta. Não me esqueceste nem negas a atração que continua a existir entre nós. Também é por isso que aqui estou.

A mulher nem tentou refutar aquela hipótese. Era verdade. Queria-o. Diabos a levassem, mas continuava a quere-lo, mesmo depois de tudo. Ia vacilar. Ia vacilar em relação a ele e não havia forma de o evitar.

Shannon agarrou na caneca dele e depois na dela, pousando-as em cima da mesinha da sala. Diminuiu a distância entre os dois e fitou-a com intensidade. O corpo de Emry tremeu perante aquele olhar.  

Calmamente, levou os seus lábios ao encontro dos dela. Sedosos, quentes, doces. Ela era tudo isso e adorava o seu sabor.

- Quero-te Emry.

O que era suposto uma mulher fazer ao ouvir tais palavras? Estava derretida nos braços dele e sabia que ele lhe estava a dar a escolher. Se o queria ou não, também. Dependia dela. A mulher loira respirou fundo e levantou-se, libertando-se do abraço. Já em pé estendeu-lhe a mão. Quando Shannon a agarrou, guiou-o até ao seu quarto.

- Também te quero, Shannon – Roçou as pontas dos seus dedos pela face dele. Fitou-o com intensidade, a mesma que ele lhe dirigia. – Isto não é um jogo. Promete-me isso.

- Não é jogo nenhum, Em, nunca foi..

As mãos dele cobriram as suas. Foram até ao robe transparente dela e fizeram-no desparecer, caindo no chão. Ele observou-a em pleno e deliciou-se com a visão dela somente em lingerie. Estava a um passo mais de a ter como queria.

Sentindo-se em desvantagem, ela apressou-se a tirar-lhe as roupas também. Caíram os dois na cama, entre beijos e caricias, até ficarem igualmente expostos. Sem nada.

- Toca-me! – Gemeu ela contra os lábios dele. Sentia o peso de Shannon por cima de si e não havia melhor sensação que ter este homem pressionado contra o seu corpo. À excepção, talvez, de o ter dentro de si.

Quando ele finalmente lhe fez vontade, ela soltou um grito prazeroso. As suas unhas deslizaram pelas costas do baterista, com tanta força que marcam a pele. O gemido dele disse-lhe que ele apreciava isso.

- Gosto tanto disto, Shannon, gosto tanto de ti- Deixou escapar, esmagada pelas sensações que a assolavam. Era uma loucura que gostasse tanto dele apesar das poucas vezes em q eu se tinham visto.

- E eu de ti, minha querida. E eu de ti. – Murmurou carinhosamente ao seu ouvido.

Durante o resto da noite, Shannon certificou-se que demonstrava muito bem o quanto gostava dela, pondo-o em palavras e em actos.

 

 Ora bem, este é o penúltimo capitulo. Espero que tenham gostado!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:15

Sacha Hart
PerfilBlogTumblr


2 Online
of

3177 Visits




10 comentários

De Ynis a 03.05.2014 às 16:23

café café café e mais café.. enfim..
gostei muito deste capítulo, especialmente da última parte e_e

De Ynis a 03.05.2014 às 16:30

eu não sou perversa! tenho lá culpa que essa parte seja a mais interessante!! e a parte que toda a gente quer ver.

De twilight_pr a 03.05.2014 às 20:09

Amo o facto de não te esqueceres da panca dele por café xD
Ai Meu Deus eles estão juntos, ai meu Deus ele foi a casa a dela *-*
Estou a morrer!
quero mais
Já o penúltimo??
Estou a gostar imenso :D

De NOVO BLOG acupoftea.blogs.sapo.pt a 03.05.2014 às 20:12

omg omg omg PENÚLTIMO? ESTÁS LOUCA?!
OMG, QUERO MAIS JÁ!

De lostdreams a 03.05.2014 às 22:22

awww gostei tanto, foi muito fofo e eles os dois *-* são tão giros!
gostei mesmo muito e tenho pena que esteja a acabar :c
beijinhos

De • Smartie a 03.05.2014 às 23:04

Awww, adorei imenso *-* Eles são tão, mas tão fofos :33
Fico ansiosamente à espera do último capítulo! :)
Beijinhos*

De francis marie a 03.05.2014 às 23:47

Assim é que eu gosto deles, muito juntinhos um ao outro ahahah
adorei *-*

De Sara a 04.05.2014 às 19:11

gostei imenso!!

De liz collingwood a 06.05.2014 às 02:26

odiei este capitulo... estou kidding, adorei mesmo!! foi muito horny btw ahah

De Yria Rivers a 07.05.2014 às 19:49

eu já disse que isto é a coisa mais sexy que há, não disse? omg
eu adoreiiiii espero que depois de acabares isto, tenhas mais coisas como estas para nos mostrar ^^

Comentar post