Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Capitulo 6 {In My Dreams}

por sacha hart, em 26.04.14

 

2 anos depois em...

Los Angeles, 2014

 

Shannon Leto era um homem elegante. Vestido a rigor para uma gala, pensou que o terno preto brilhante lhe ficava muitíssimo bem. Arrasaria bastantes corações, como era costume.

Desceu para a garagem. Entrou no Bentley e deslizou para a estrada, o carro movia-se predatoriamente na noite. A viagem até Beverly Hills foi rápida e acelerada.

Apresentou-se no átrio da mansão e cumprimentou Tyra, a anfitriã. Seguiu para o interior e cruzou logo olhar com uns quantos conhecidos. O que mais o animou foi ter avistado uma antiga amiga sua por entre os jornalistas do evento. Foi ter com Kelsey que se mostrava divertida a entrevistar um designer. Mal a entrevista terminou, abordou-a.

- Hey Kels!

- Shannon! – Abraçou-o com entusiasmo.

- Não sabia que ias estar aqui. Nova Iorque não é a tua área? Estás um bocadinho longe – brincou.

- Mandaram-me para aqui há dois meses. Nunca me tinha apercebido quão bom é o tempo na Califórnia se não tinha pedido transferência mais cedo.

- Podias ter-me dito que aqui estavas – Comentou o baterista, sorrindo – Podíamos ter ido beber qualquer coisa. Queres ir até ao bar agora? – Apontou de soslaio para o concorrido serviço de bebidas do evento.

Kelsey abanou a cabeça. Apontou para o seu colega fotógrafo e para o gravador que tinha na mão.

- Agora não mas o que achas de mais tarde? Quando isto acabar, talvez?

Shannon resignou-se a isso. Não estava muito entusiasmado com a ideia de passar horas naquele evento mas a perspectiva de acabar a noite a beber uns copos com Kelsey animava-o. Ela era um boa amiga e divertiam-se sempre juntos.

- Claro. Vemo-nos mais logo! – Deu-lhe um beijo na face e seguiu caminho.

 

Justamente quando achava que o evento começava a ganhar piada e interesse, o moreno avistou Annalyne. Já seria de prever que a mulher fosse ali estar, afinal de contas a gala fora criada por uma modelo e certamente que seriam amigas.

Porém, o mero vislumbre de Annalyne nauseava-o. Depois do rompimento tinham-se visto poucas vezes. Ele evitava-a, ela fazia questão de aparecer à sua frente sempre que podia. Era como um ferida aberta que nunca sarava, servia sempre para o lembrar da fatídica tarde em que a encontrara no seu quarto e afugentara Emry. Mesmo sendo um assunto do passado, incomodava-o.

- Shannon, querido, estás aqui. Que bom ver-te!

Ele tinha a certeza que o sorriso dela era somente para parecer bem a qualquer câmara que lhes pudesse estar apontada. Forçou um sorriso de volta.

- Boa noite, Anna.

Um dos empregados de serviço passou por eles com uma bandeja de champanhe. Anna foi rápida a interceptá-lo e a tirar dois flûtes, um dos quais deu a Shannon. Ergueu o copo num brinde.

- Ao nosso reencontro!

Por mera educação, retribuiu o brinde mas sem qualquer entusiasmo. Queria ver-se livre de Annalyne. Olhou distraidamente para o relógio. Não faltava mais do que uma hora para o evento terminar.

- Podias mostrar ao menos algum entusiasmo, não? Em nome dos bons velhos tempos. Costumavas sorrir-me, tocar-me, ser atencioso. Mesmo quando a nossa relação se baseava apenas em sexo.

- Velhos tempos mesmo, Anna. É um passado que não recordo.

- Achas que eu acredito que não recordas as noites escaldantes que tivemos? – Riu-se convencidamente – Desengana-te.  No fundo ainda me desejas mas nunca mais me voltarás a ter. – Ela acreditava realmente que isso o afectava? - Perdeste a piada toda, Shannon. Tchauzinho.

Atirando a longa cascata de cabelo castanho para trás, Annalyne desapareceu por entre os convidados, deixando Shannon agradado e sozinho.

 

Era perto da uma da manhã quando Shannon se juntou a Kelsey nas traseiras da mansão. Ela acabara de se despedir do colega e estava a entrar no Bentley do baterista.

- Vamos para onde?

- Apetece-te Margaritas ou estás mais para Bourbon? – Brincou ele.

Kelsey chegou à conclusão de que nenhum. Então teve uma ideia genial, saltando até do luxuoso banco do carro.

- Já sei onde podemos ir! Há uns tempos atrás ouvi dizer que o Friday’s se estava a expandir. Acho que há um aqui em Los Angeles! Lembras-te como costumávamos ir ao de Nova Iorque? Ahh, temos de ir.

A mera menção do pub fez Shannon estremecer. Recordou-se de Emry. Não pensava muito nela agora, mas houvera uma altura em que sim. Por muito que a tentasse esquecer, havia algo que não o deixava.

- Hum, sim, claro… Sabes onde é?

Quando Kelsey abanou a cabeça, tiveram de procurar uma segunda opção. O GPS por norma não enganava. Seguiram as coordenadas e as indicações até irem dar aos arredores da cidade, só meia hora depois. Felizmente a demora compensou quando viram o néon verde anunciar o pub, tal e qual como em Nova Iorque.

Saíram do carro e entraram no estabelecimento. Tinha algumas semelhanças com o de Nova Iorque, como era de esperar. Repararam que eram das poucas pessoas ali, talvez porque a hora de fecho de aproximava.

- Não fiques aí especado Shannon. Isto fecha em vinte minutos e ainda nem começámos a beber.

Kelsey riu-se e arranjou-lhes um lugar ao balcão. Pediram duas cervejas Guiness, quentes e saborosas. Nada melhor para fechar a noite.

- Estás nervoso?

- Não, porque perguntas?

- Estás a abanar o pé e é francamente irritante, para além de sinal de nervosismo.

Ele não chamaria aquilo de nervosismo, mas antes ansiedade. Havia memórias que passavam pela sua mente.

- Não é nada. Vou até ali à casa de banho.

Esquivou-se de um possível tópico conversa que pudesse surgir por parte de Kelsey. Sabia como era a amiga, sempre à procura de uma razão para tudo. Era por isso que se safava tão bem enquanto jornalista.

Foi até às minúsculas casas de banho e passou a cara por água. Talvez já tivesse bebido demais por uma noite – sabia que não, ainda estava bastante lúcido – mas alguma coisa tinha de ser a razão para a sua ansiedade.

Ao voltar para o balcão, despistou-se por momentos ao ver o relance de uma cabeleira loira. Voltou para trás e espreitou por uma porta que dizia apenas “Reservado a Funcionários”. Era uma sala que mais parecia um escritório e não tinha lá ninguém. «Estranho.»

Mesmo sabendo que estava a imaginar coisas e que devia voltar para junto de Kelsey, Shannon não resistiu e entrou na sala. Olhou em volta e constatou que estava sozinho. Era um idiotice.

- Procura alguma coisa? Não é permitido estar aqui.

Vinda de uma porta adjacente, Shannon soube quem ia encontrar mesmo antes de se virar.

- Emry.

 

Sei que o capitulo está bastante pequenito mas prometo que o outro compensa porque é enorme.

Digam-me o que estão a achar!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:47

Sacha Hart
PerfilBlogTumblr


2 Online
of

3177 Visits




8 comentários

De twilight_pr a 26.04.2014 às 13:47

Oh.Meu.Deus!
Amei este capítulo e pronto mataste-me com este final e com tudo o resto. A Anna ainda não entendeu que daqui a nada leva um pontapé no rabo? E sou eu que o dou!
Enfim enfim..
AMEI! Mal posso esperar para saber mais :D

De lostdreams a 26.04.2014 às 13:50

oh meu deus, eu estou a gostar tanto e tanto desta história. estou muito curiosa para ler mais e com muita pena de faltarem apenas dois capítulos :(
beijinhos

De Ynis a 26.04.2014 às 14:29

ahahahahah como é que adivinhei que o final deste capitulo seria assim?! e_e
tuts tuts tuts \o/

De JustAnOrdinaryGirl a 26.04.2014 às 15:42

Ainda não conhecia a tua fic, mas estive a ler e gostei bastante. Fiquei curiosa para saber como continua :)

De NOVO BLOG acupoftea.blogs.sapo.pt a 26.04.2014 às 18:46

OMG OMG OMG OMG OMG
QUERO MAIS AGORA! IMEDIATAMENTE! FAZ-ME A VONTADE POR FAVOOOOOOOOOOOOR

De Yria Rivers a 26.04.2014 às 19:36

omg dois anos é tanto o.o mas eles encontraram-se na mesma ^^ aiii quero mais

De Ynis a 26.04.2014 às 22:15

not really e.e

De • Smartie a 26.04.2014 às 22:22

Omg :OO Eles vão-se encontrar *---------*
Posta mais, please! :D
Beijinhos*

Comentar post