Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Capítulo 11 {Her Bodyguard}

por sacha hart, em 20.12.14

Untitled-1.png

 

O guarda-costas saíra para o jardim. Quando se apercebeu disso já era demasiado tarde para recuar. Em toda a mansão, aquele devia ser o pior sitio onde podia ter ido. Imagens da noite anterior assaltaram-no. Visões de Dakota a render-se por baixo dele, gemendo os eu nome ali mesmo sob a fofa relva.

- Sam!

Pensou que ainda estava perdido em pensamento. Só quando Dakota se colocou à sua frente, Sam percebeu que não.

- Passa-se alguma coisa, Dakota?

- Não me venhas com esse tom.

- Que tom? – Inquiriu como se de uma normalidade se tratasse.

- Esse mesmo que usas quando queres fingir que não se passa nada.

- Então diz-me, Dakota, o que se passa? – Começou ele num tom sarcástico – Queres explicar-me sobre o teu namorado de Hollywood? Ou sobre eu aumentar a equipa de segurança? Ou misturar ambos?– Apesar da tentativa, ele não conseguiu esconder os ciúmes.

- Pára de te armar em idiota, Sam! Eu sei que não és assim!

Era verdade. Isto não era ele e Sam sentiu-se, de facto, um idiota por estar a agir daquela maneira. Suspirou e encarou Dakota. Reparou que ela tremia. O clima em Los Angeles era quente. Isto significava que ela começava a ficar zangada. Só que então Dakota deu um passo em frente, ficado colada ao corpo dele, e pareceu descontrair. Já ele ficou rijo e tenso.

- O que se passa é que nem sequer referiste aquilo que fizemos ontem à noite. Porquê, Sam?

Ele teve que desviar o olhar do dela, pois não aguentava – Porque o que aconteceu não se pode voltar a repetir, Dakota – Afastou-a, de modo a não terem os corpos juntos. Essa proximidade toldava-lhe os pensamentos.

- Não digas isso, Sam! – Lá estava ela a tremer de novo – Não me venhas agora dizer que te arrependeste, que não querias ter feito aquilo! Se mo disseres, eu juro que… que…

- O quê?! – Desafiou o guarda-costas.

Ela voltou a aproximar-se dele e praticamente saltou para o seu colo. Esmagou os seus delicados lábios contra os dele num beijo violento e esfomeado. Sam foi incapaz de contrariar o desejo do seu corpo e do seu coração. Agarrou nela e cambaleou-o para trás, virando-se a tempo de apoiar o corpo da cantora contra a parede de vidro. Beijou-a com o mesmo ímpeto arrebatador.

A morena quebrou o beijo, sem fôlego. Encostou a sua testa à dele e assim ficaram, recuperando a respiração.

- Não estás arrependido – Murmurou.

- Nunca disse que estava, pois não? - Inclinou a cabeça para trás – Mas isto não pode acontecer. Posso perder o meu emprego se alguém descobrir que fiz amor contigo, e tu sabes que não me posso dar a esse luxo.

Dakota sorriu interiormente, ciente de que Sam não chamara “sexo” àquilo que tinham feito na noite anterior, mas sim “amor”. O coração batia-lhe rápido com o contentamento.

- Para além de que não é correto. Eu separo a vida profissional da pessoal.

- Para alguém que costuma falar pouco, hoje estás muito falante – A morena decidiu calá-lo com mais um beijo – Eu não deixaria que te despedissem, Sam. Já me habituei a ter um guarda-costas rezingão em cima de mim…

- Não é só isso. Aquilo que fizemos pode ter sido muito bom, Dakota, mas vais acabar por te fartar e arranjar outros homens. Tem-los à tua disposição. E nessa altura? Ainda me vais querer como teu guarda-costas? – Sorriu tristemente, sabendo que se houvesse essa altura, seria ele quem não queria estar com ela -  Não pode ser.

Carinhosamente, ela segurou o rosto de Sam com as suas mãos e fê-lo encará-la – Não posso crer que penses isso de mim. Só te quero a ti, Samuel Levitt. Não to disse e demonstrei antes não sei quantas vezes? Acredita em mim, Sam. – O tom dela, embora sério e direto, denotava também alguma súplica.

- E o Khris Johnson?

Nesse momento ouviu-se George Reed a chamar pela filha. Dakota só teve tempo de o beijar mais uma vez e descer do seu colo. Se para Sam aquilo tinha de ser segredo, assim o era. Despediu-se e voltou para dentro antes que o pai viesse e desse com eles os dois!

Contudo, Sam reparou que ela não chegou a responder à sua pergunta.

 

 

Era segunda-feira de manhã. Dakota acordou sentindo-se fantástica. Sam ainda dormia profundamente ao lado dela. A morena sorriu e observou-o. Estando ele virado de barriga para baixo, dava-lhe uma excelente visão das costas musculadas que afunilavam na cintura. O resto estava escondido pelos lençóis, mas Dakota saia muito bem como era o resto do corpo dele. Na noite anterior demorara-se a estudar todas as linhas do corpo de Sam…

- Sam.

Ele fazia o coração dela bater de uma maneira que a deixava louca. Como podia ter-se apaixonado tão rapidamente pelo seu guarda-costas? Ele sempre lhe parecera uma folha em branco até ao momento em que descobrira o verdadeiro homem por detrás da faceta autoritária de guarda-costas. Sam revelara-se bondoso, gentil e terno. Dakota vira a sua dedicação inabalável, principalmente no que dizia respeito à sua segurança e à família dele em Portugal.

Por essa mesma razão decidiu que tinha de fazer algo para o ajudar.

Saiu da cama e foi vestir-se. Deixou um recado a Sam, muito embora tivesse certeza de que ele sabia da reunião dela. Bea, Scott, Mary e Bruce já estavam à espera dela e, dado o atraso, trabalharam ainda mais rápido.

No fim Dakota chamou Bruce à parte. Bruce era quem tratava da questão financeira da sua carreira. Cachets, contas, orçamentos. Tudo isso era visto e revisto por Bruce e a cantora estava satisfeita pois ele organizava muito bem a sua fortuna.

- Bruce, tenho que pedir-te um favor.

- Claro. – Respondeu ele, num sorriso leve. Bruce era um homem muito sério, pouco dado a simpáticas, mas com ela sempre fora impecável, assim como para o resto da equipa – Diz-me.

- Quero fazer uma transferência. Bom, é mais como um donativo. Quero que seja anonimo. – Esclareceu e entregou a Bruce um papel – Não sei o número da conta, mas está aqui o nome. É uma conta portuguesa. Achas que consegues encontrar?

- Não vai ser mais fácil, mas creio que sim. Quanto queres que transfira?

- Cem mil dólares.

Bruce arregalou os olhos, surpreendido pelo montante. Dakota fez um último pedido – E faz com seja uma coisa discreta. Não quero que ninguém saiba. – Sorriu-lhe – Obrigada Bruce, sabia que podia contar contigo.

Passaram-se três dias entretanto. Três dias nos quais Sam pensara que ia dar em louco. Pelo menos era dessa maneira que Dakota o queria, parecia-lhe.

Mesmo sabendo que não podiam ser vistos em público, a morena gostava de o fazer sofrer um bocadinho. Seduzia-o a todos os momentos. Não era uma tarefa árdua, no final de contas, pois bastava um olhar provocador ou um sorriso elegante para Sam. Contudo ele manteve-se como ferro, e à noite, quando estavam a sós, ele fazia questão de mostrar a Dakota que a vingança podia ser algo doce.

No entanto não era nisto que Sam pensava. Sentado na secretária do seu quarto, lia os compromissos da semana nos quais teria de acompanhar Dakota. Estavam juntos há pouco tempo, mas era suficiente para ele se preocupar ainda mais com ela. Qualquer movimento que atravessa o campo de visão do guarda-costas, era uma possível ameaça. Só que ele andava tão distraído com Dakota, que se desviara do seu foco. Descurara a investigação pelo “Creep”, como lhe chamava. Dakota continuava a dar pouca importância ao assunto mas para ele era algo sério.

Só o toque do telemóvel interrompeu os pensamentos de Sam. Ao ver o indicativo português, ficou de imediato nervoso.

“ Ivan.”

“Sam, não vais acreditar!” Ivan falava tão alto que foi difícil para o guarda-costas perceber o que o irmão mais novo dizia. “Conseguimos! Conseguimos!”

Embora não entendesse nada do que ele dizia, Sam percebia ao menos que não eram más noticias e por isso relaxou. “Acalma-te, Ivan, e explica-me lá o que se está a passar.”

“Conseguimos o dinheiro para o tratamento da mãe!”

O guarda-costas ficou calado a absorver aquela notícia. Parecia-lhe irreal. Como era possível?

“Sam, olá, ainda estás aí?” Brincou o outro.

“ Sim, sim. É só que… Oh Meu Deus! Como?”

“Nem sei bem, só sei que a conta da mãe ganhou 80 000  euros. Com aquilo que já tínhamos guardado perfaz cem mil. É mais do que suficiente!”

“Ganhaste a lotaria?”

Ambos se riram. “Bem queria… Mas não. Simplesmente transferiam o dinheiro. Foi uma doação anonima. Finalmente tivemos sorte!”

Uma doação anónima? Quem poderia ter feito tal coisa pela família Levitt? A resposta foi tão clara como água para Sam. Apenas Dakota teria capacidade para fazer um donativo daquele tamanho. Sam sentiu-se estremecer.

“ Leva a mãe para França o quanto antes, Ivan.”

Os irmãos não podiam estar mais contentes. Era um dia feliz para os Levitt. Finalmente tinham dinheiro para pagar os tratamentos de Adelaide Levitt e, esperançosamente, curá-la. Ivan e Sam prosseguiram numa conversa animada. Sam gostava sempre de saber como iam as coisas por casa, o que só contribuía para ter mais saudades.

“ Manda abraços meus para todos.”

“Sabes que mando. Volta depressa, mano.”

Dakota estava no jardim. Duas mulheres acompanhavam-na num pequeno brunch. Eram jornalistas que queriam o exclusivo no relacionamento de Pearl e Khris. Muito pouco à vontade, a cantora respondia com rodeios às perguntas.

Foi então que viu aparecer Samuel e o seu coração voou nesse momento.

- Desculpem-me, tenho de interromper a entrevista por uns minutos. Vou pedir à minha empregada que traga os seus bolinhos – Antes que as mulheres comentassem alguma coisa, Dakota escapuliu-se.

Andou apressadamente até Sam com um sorrisinho. Puxou-o para dentro de casa, onde aquelas duas gralhas não os vissem.

Ainda bem que o fez pois no minuto em que entraram, Sam puxou-a para os seus braços e beijou-a de tal forma que Dakota quase perdeu os sentidos. – Hum… - Murmurou, tentando recompor-se – Mas passa-se alguma coisa, Sam? – Perguntou divertida. Nunca antes ele a surpreendera com algo assim, especialmente sem estarem fechados nalguma sala. Ali qualquer pessoa poderia aparecer.

- Já sei o que fizeste.

- O que é que eu fiz?

O olhar de Sam mostrava-se radiante – Foste tu que doaste aquele dinheiro para a minha mãe, não foste?

Dakota fez uma careta ao perceber que fora descoberta. Não tinha sido sua intenção que Sam descobrisse que fora ela.

- Obrigado, Dakota, obrigado! – E porque não tinha outra forma de lhe agradecer, voltou a beijá-la. Deixou que Koda percebesse o quando o gesto dela significara para ele.

- Não me agradeças, Sam. Fiz o que qualquer pessoa faria se pudesse.

- Não, Dakota. Nem toda a gente faria o mesmo que tu. És especial. Bondosa e amável. Ajudaste a minha mãe, toda a minha família aliás e não tenho maneiras de expressar o quão agradecido estou. Nunca me vou esquecer.

Embora fosse Sam quem devia estar comovido, acabou por ser Dakota a emocionar-se e ficar com o olhar brilhante. A felicidade que via em Sam tocava-a de uma maneira especial. Fizera a doação não só porque podia, mas também porque sabia que ia avivar a esperança de Sam e tirar-lhe um peso dos ombros.

Fizera-o porque o amava.

A verdade abateu-se estrondosamente na sua mente e no seu coração. Ao fitar os olhos castanhos e doces do seu guarda-costas – o seu amado – sabia que faria tudo ao seu alcance para o fazer feliz.

- Leva-me para cima, Sam.

- Mas e a tua entrevista?

- Neste momento só estar contigo é que me importa – Riu-se, tentado segurar as lágrimas – por favor.

Sam não precisou de a ouvir duas vezes. Levou-a pelo colo até ao quarto.

Nas horas que se seguiram, encontrou mais umas quantas formas de expressar a sua gratidão…

 

Este capitulo não ficou nada como o pensei, mas ainda assim espero que não tenha sido uma seca. No próximo capitulo espero recompensar-vos com novas intrigas (e mais não digo!) . Ainda há muita coisa para acontecer. Obrigada por lerem.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:06

Sacha Hart
PerfilBlogTumblr


2 Online
of

3177 Visits




8 comentários

De jules emerson. a 20.12.2014 às 13:52

Adorei o capitulo, mais uma vez! :)
Adorei o que a Dakota fez pelo Sam e pela mãe dele! :)
Adoro como ficam bem juntos! Agora sei que este segredo mais cedo ou mais tarde vai-lhes trazer muitos problemas...
Beijinhos!

De twilight_pr a 20.12.2014 às 14:51

Gostei imenso do capítulo! Meu Deus, a Dakota foi simplesmente uma querida! A mãe dele vai finalmente poder fazer o seu tratamento!
Adorei este capítulo e este final, wow.
Espero que eles consigam ser discretos e ele que consiga que a sua chefe não descubra nada, assim como o pai da Dakota. E se o maluco descobrir?! Espero que ele não faça mal ao Sam, mesmo que ele seja o guarda-costas, espero mesmo que não lhe aconteça nada!
Beijinhos, estou ansiosa para ler mais :D

De Joanna a 20.12.2014 às 15:55

omg que lindos *.* o sam com ciúmes mas eles fizeram as pazes e ficou tudo bem *.*
e awwwwwwwwwwwwwn a dakota foi tão fofinha a ajudar a família do sam omg e este final opa e.e estou a adorar a história e adoro vê-los juntos mas preciso de saber quem é o stalker e o que é que vai acontecer em relação a isso e.e
beijinhos!

De andyjopanda a 20.12.2014 às 18:08

Adorei o capítulo, a Dakota foi tão querida ao ajudar a família do Sam, eles ficam tão bem juntos, e notasse bem que se amam, agora há uma coisa, é que o irmão do Sam, disse para ele voltar logo, ou seja, ele só tem aquele emprego para ganhar dinheiro por causa da mãe, quer dizer que vai se separar da Dakota? Espero que não, tou ansiosa pelo próximo :) Bjs
p.s. não sei se já leste o capitulo 11 da minha fic, mas já publiquei também o 12º capitulo, espero que leias.

De electra kerry a 20.12.2014 às 18:45

Aw comovi-me a ler o capítulo :') a Koda foi um doce ao ter ajudado a família do Sam, eles merecem realmente estar juntos, espero que o tratamento corra bem
Mais mais
Beijinhooo*

De Sara a 21.12.2014 às 21:30

Foi tão giro, claro que não foi uma seca!
O Sam é tão querido meu deus! Adoro-os :)

De • Smartie a 21.12.2014 às 23:21

Antes de mais, a imagem que escolheste para ilustrar este capítulo é completamente ashdshbjfdjnkfknj *-* xD
Depois, em relação ao capítulo em si...eles são tão amorosos que eu nem aguento +.+ A sério, gosto tanto mas tanto de ver estes dois juntos :') A Dakota foi tão querida em ter dado o dinheiro para ajudar a família dele, e em especial a mãe, gostei mesmo dessa acção dela :3 E ele ficou tão agradecido, foi mesmo fofo de se ver :$ Adorei, adorei, adorei!
Mal posso esperar pelo próximo capítulo, querida :D
Beijinhos*

De francis marie a 28.12.2014 às 23:44

Aww, eles são tão aww
Adoro vê-los assim, felizes, apesar de ser uma relação secreta, estão a amar muito, a sério, está a ficar cada vez mais interessante! ^^

Comentar post