Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Capitulo 7 {Moving On}

por sacha hart, em 08.10.13

Ben estava às voltas na sala de estar. Pensava no seu encontro com Kat. Ou melhor, no desastroso encontro. Ela estava mesmo magoada com ele. Por um lado isso deixava-o contente, pois significava que ela não se esquecera dele durante aqueles anos todos. Por outro lado saber que a deixava à beira das lágrimas deixava-o passado consigo mesmo.

- O que é que faço agora, Liam? Ela não me quer ver à frente.

O amigo de Ben limitou-se a rir suavemente enquanto enchia dois copos com brandy.  Aproveitou a situação para entregar o copo mais cheio ao loiro.

- Isso é porque está zangada. Acredita, é preferível que ela esteja zangada contigo. Significa que ainda há fogo entre vocês os dois.

Ben fez uma careta. – Ela não está apenas zangada. Também está magoada por não lhe ter dito mais cedo que estava vivo. – Moveu a cabeça impacientemente.

- Certo. Mas isso passa com uma boa dose de romantismo – Liam sorriu – E não há nada mais romântico do que teres voado da Austrália para aqui por causa dela.

- Não sei se ela pensa o mesmo.

- Pensará.

- E como é que sabes, espertinho?

O sorriso de Liam tornou-se divertido. – Sei-o porque conheço as mulheres. Afinal não foi por isso que vim contigo? Para assegurar que não metes o pé na poça com esta miúda?

- Vens na condição de melhor amigo.

- É a mesma coisa, idiota.

O brandy rapidamente desapareceu do copo dos dois. Ben acabou por se acalmar e reflectir sobre Kathryn. Estava disposto a corrigir todos os erros e recuperar os anos que perdera. Enquanto sentisse que havia hipóteses, ia tentar.

Kathryn era o seu mundo, sempre o fora. Tinha de tentar.

Na manhã do dia seguinte, a fera que havia em Kathryn já amansara. Pelo menos por fora. Interiormente a mulher estava um caos completo, sem saber o que pensar ou fazer em relação a Ben. Tinha decidido que o ia ignorar mas sentia-se incapaz de o fazer. Decidiu esquecer isso por umas horas.

Como era habitual, levava o café na mão enquanto caminhava até ao interior do Madison’s Garden. O cheiro fresco e convidativo das flores ajudaram a acalmá-la. Pegou num crisântemo branco e enfeitou a trança que fizera.

Quando deu novamente por si já era quase meio-dia. O trabalho naquela florista nunca parava e, por agora, ela apreciava estar ocupada. Mal saía um cliente, entrava outro. E para ela era sempre uma alegria atendê-los.

- Kat, recebemos agora mesmo um pedido por telefone. Um arranjo de flores estilo mediterrânico. O que raios é isso? – Era Mandy, a sua colega, claramente confusa – Já fui pesquisar no Google mas só me aparecem fotos estranhas.

- Talvez saiba do que se trata. Deixa comigo, Mandy. Eu trato disso.

Apesar dos resmungos do seu estomago, a morena decidiu saltar a refeição e continuar a trabalhar. Não estava com cabeça para pensar em Ben, ou na sua vida amorosa inexistente, ou nos problemas que a irmã lhe dava… Só queria espairecer e o difícil pedido mediterrânico dava-lhe a oportunidade de não pensar em nada mais.

Até Deena entrar pelo estúdio dentro.

- Conta-me tudo. Quero saber como correu a conversa com o Ben.

Era tão típico de Deena ir sempre direta ao assunto, essa atitude frontal e decidida que Kat deu consigo a sorrir mal a melhor amiga invadiu o seu local de trabalho.

- Nem vou perguntar como é que soubeste disso.

- Já sabes que tenho as minhas fontes. Agora não desvies o tema da conversa.

A morena bufou e voltou a olhar para o conjunto de flores que tinha na mão. Sempre era melhor observar as delicadas flores do que encarar Dee e revelar-lhe o que sentia realmente por dentro. Não, obrigada. Preferia manter esses sentimentos guardados para si mesma.

- Foi apenas uma conversa. Ele tem estado este tempo todo na Austrália – começou por dizer, sentindo as mãos tremelicarem de nervos novamente – Está curado do cancro. E não se dignou a dizer-mo antes. Diz que enviou uma carta mas provavelmente é mentira. Ainda teve a lata de dizer que voltou por mim.

Um pobre lírio branco sofreu com a súbita raiva da florista, que o apertou demasiado entre o punho cerrado. Tal não escapou à atenta observação de Deena.

- Talvez a carta tenha sido desencaminhada pelo caminho. E isso parece ser verdade. Fui falar com ele e acredito que ele só tem boas intenções contigo.

- Estás do lado dele? – Guinchou zangada. – Foste falar com ele. Já devia ter adivinhado. Não te metas nisto, Dee.

Agora já eram duas mulheres zangadas num só espaço.

- Não estou do lado dele. Estou a constatar uma hipótese que tu nem pareces ter considerado. Estás completamente obstinada em ignorares os sentimentos em relação a ele – O sermão de Deena continuava sem parar – Caramba, Kat. Há mais de dezasseis anos atrás estavas loucamente apaixonada por aquele rapaz. Mas agora és uma mulher e ele é um homem. As coisas podem ser diferentes. E tu estás aí a retrair-te por causa do passado.

Deena estava certa mas a melhor amiga dela não o ia reconhecer tão cedo. Ela sofrera pela falta de Ben, pensara que ele estava morto e tantas outras coisas. Coisas essas que nem Dee sabia.

- Escuta, sei que estás confusa e com medo de ouvires o teu próprio coração. Eu só te quero feliz, Kathy. O que te falta é um bom homem a teu lado. Até agora, sejamos honestas, nunca te entregaste a nenhum macho. Os casos de uma noite só não te vão satisfazer para o resto da vida.

- Eu sei, Dee. Eu sei.

A morena largou os lírios e fitou a melhor amiga.

- Gosto muito de ti, Dee. Desculpa se fui uma parva ainda há pouco.

As duas riram-se e resolveram as pazes com um abraço.

- Deixa lá. Agora promete-te que logo à noite vais até ao bar. Eu e o Joey preparámos uma noite especial. Vai haver uma festa de gajos. É mesmo aquilo que estás a precisar.

- Não, não é. – Replicou a rir-se – Mas prometo passar lá mais logo, nem que seja para vos dar uma mãozinha.

- Combinado então. Até logo querida.

Deena acabou por sair da florista com um sorriso vitorioso e uma sensação de missão completa. Passo a passo, poderia resolver os problemas da melhor amiga e ela nem saberia. Só esperava que o desmiolado e campónio do Ben, que conquistara secretamente a aprovação dela, fosse a peça essencial para ganhar o jogo. Tinha de ser.

 

Decidi postar o capitulo um dia mas cedo, vocês merecem.

A partir de agora, os capitulos saem apenas às terças e às sextas.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:18

Sacha Hart
PerfilBlogTumblr


2 Online
of

3177 Visits




9 comentários

De marie-claire a 08.10.2013 às 21:51

Adorei e espera que a Deena dê o empurraozinho necessário para juntar os dois ;)
Beijinhos*

De twilight_pr a 08.10.2013 às 22:26

Como vou dizer isto... ADOREI!
Pronto já disse, não consigo dizer mais nada, sem dúvida que vai ser uma grande história, mal posso esperar para o próximo capítulo, beijinhos.

De • Smartie a 08.10.2013 às 23:20

Parece-me que a Deena se vai armar em cupido...e ainda bem :)
Estou curiosa para saber o que vai acontecer a seguir, posta mais querida! :D
Beijinhos*

De Ynis a 09.10.2013 às 08:46

os capítulos saem, nos dias em que saiu mais cedo muahahahahaah..
já ando a fazer uma data de filmes com esta fic.. baah..
e essa Kat, é mais burra que o cu cagado u..u

De Silver Sky a 09.10.2013 às 10:55

gostei muito .)

De Jessica Matthews a 09.10.2013 às 16:15

oh a amizade do Liam e do Ben parece ser tão fofa. adoro este tipo de amizade entre dois rapazes!
a Dee parece ser daquele género de cupido... a ver vamos se a Kat aparece mesmo no bar!
estou a gostar imenso da história, a sério.

agora vou ler a one shot que ainda não li*

De sarah a 09.10.2013 às 19:31

quero tanto a kat e o ben juntos! :c

De eme a 09.10.2013 às 19:34

ah! a deena que se arme em cupido/casamenteira porque eu quero ver aqueles dois juntos outra vez... e quero saber mais do liam que parece um fofinho :)
loved it, as usual*

De liz collingwood a 09.10.2013 às 23:23

e está espectacular como sempre! :)

Comentar post